Fruta do Tear ou Prada? Santo Fantasma! na moda high-low no FYF Fest

Santo Fantasma Getty Images

Foto: Getty Images


Santo Fantasma! teve a honra de encerrar o FYF Fest neste fim de semana com um set de madrugada no domingo, seu dramático som eletronico elevando-se no ar cheio de poeira no Parque Histórico Estadual de Los Angeles. O significado desse horário não foi esquecido pela dupla do Brooklyn, que passou todo o verão se apresentando em festivais sob o sol forte da tarde. A dupla, Nick Millhiser e Alex Frankel, teve a chance de mostrar sua configuração de palco feita em casa, que envolve um monte de caixas de luz que brilham ao ritmo de sua música. Além disso, o grupo revelou algumas novas faixas de seu próximo álbumDinâmica, lançado em 10 de setembro.

Frankel dedicou alguns minutos na tarde de sábado para discutir o show ao vivo da banda, seus planos para o novo álbum e por que ele não pode contar a sua mãe nada que já não seja de conhecimento público.

Você fez algo especial como banda para se preparar para o encerramento deste festival? Tente não [bagunçar]. Essa é sempre a regra. É bom porque em festivais raramente tocamos no escuro porque a maioria dos festivais é durante o dia, então é emocionante tocar depois do anoitecer. Temos essas caixas de luz com as quais tocamos que são sincronizadas com a música, que não funcionam bem durante o dia. Essa deve ser uma boa mudança de ritmo. Você aprendeu alguma coisa sobre fazer um bom show com uma banda com quem você tocou este ano? Fazer turnê com o New Order foi ótimo. Eles eram totalmente profissionais. Foi útil observar como eles se comportaram tanto no palco quanto nos bastidores. Essas situações podem se tornar muito estressantes, e eles fizeram um ótimo trabalho em dar um bom show para as pessoas que apareceram. Tentamos acompanhar isso. Quanto do seu novo álbum você tem tocado ao vivo até agora? Aprendemos quatro músicas com o novo álbum, e estamos alternando entre elas. Vamos aprender um pouco mais para a turnê como atração principal. Mas se eu gostasse de uma banda e eles estivessem apenas tocando o novo álbum, isso me deixaria chateado, então só queríamos tocar algumas coisas. Nós realmente tocamos as músicas mais antigas. Assim que o álbum for lançado, provavelmente faremos um set 50/50. Você descobriu que suas músicas antigas evoluíram ou mudaram de forma conforme você fazia turnê com elas? No estúdio, somos só eu e o Nick, mas na turnê temos uma banda realmente ótima por trás de nós. Esses caras adicionam coisas a ele. Seja uma linha de guitarra ou alguns efeitos, essas coisas se tornam parte das músicas. Temos que manter as coisas interessantes para nós também. O que você planejou para a semana de lançamento do álbum? Estamos fazendo nossa primeira apresentação em uma rede de televisão. Estava fazendoJimmy Kimmel Live!em 9 de setembro, um dia antes do lançamento do álbum. Estamos fazendo uma performance para Morning Becomes Eclectic, também, que é um ótimo programa de rádio na KCRW em L.A. A performance na televisão é realmente a grande coisa. Nunca fizemos isso antes. Que músicas você vai tocar? Vamos tocar duas músicas. 'Ok', o single que lançamos na semana passada, e 'Changing of the Guard', que será o próximo single extra-oficial. Minha mãe está realmente empolgada com isso. Eu disse a ela que estávamos fazendo isso e assim que disse a ela, me arrependi. Eu sabia que ela faria algo maluco e ela postou sobre isso no Facebook antes mesmo de eles anunciarem, tipo 'Meu filho está fazendo isso, e estou muito orgulhoso'. Tive que ligar para ela e fazer com que ela retirasse o Facebook. E se perdermos o lugar porque violamos algum contrato porque minha mãe colocou no Facebook? Ela não pode ser a primeira mãe de um músico a fazer isso. Ela definitivamente consegue anistia. Eu não a culpo. Mas essa é a lição: não diga a seus pais que algo está acontecendo até que aconteça. O Espírito Santo! tem um estilo próprio? A maioria das bandas é apenas um produto de tanto estar na estrada. Você quer coisas que possa usar em todas as situações. Então, Nick e eu ficamos apenas com camisetas brancas, que temos em nosso piloto. Se aparecemos sujos e não lavamos a roupa há duas semanas, sempre há uma camiseta branca limpa. E usamos um par de A.P.C. jeans azul. E quando está frio, usamos jaquetas de couro. Minha mala parece o armário do Batman, mas para músicos. São literalmente dez camisetas brancas e três pares do mesmo jeans. Qual é a melhor camiseta branca? Nick e eu somos diferentes. Eu gosto de camisetas brancas sem etiqueta Fruit of the Loom. Estou fazendo a transição de decotes em V para decotes redondos. É uma grande transição para mim. E Nick usa camisetas brancas da Supreme, que têm mangas mais compridas e os punhos são melhores. Estamos realmente falando sobre camisetas brancas? Esta é a entrevista do pior estilo de todos os tempos. Eu sou péssimo nisso. Quando você está em casa, em Nova York, há certas lojas nas quais gosta de fazer compras? Ambos fazemos compras na Surface To Air e na A.P.C. Quando podemos pagar, gostamos muito da Prada. Isso é um deleite raro. No Brooklyn, nosso amigo tem uma loja chamada Bird, na qual às vezes fazemos compras. Tudo depende de quanto dinheiro temos no momento. Porque se dependesse de mim, eu faria compras na Prada o tempo todo. Então é Fruit of the Loom ou Prada? Sim, essa é a história. Há um título para você!